Notícias

Lula pode posicionar Brasil como protagonista em transição energética, diz Nolasco

O presidente da União Nacional do Etanol de Milho (Unem), Guilherme Nolasco, considerou importante o presidente eleito Luiz Inácio Lula da Silva ter citado, em seu primeiro discurso após a vitória, o agronegócio e também ter dito que precisará da Câmara dos Deputados e dos governadores para governar.

“Temos virtudes e externalidades ímpares para promover o biocombustível e aumentar produção e oferta de alimentos”, reforçou Nolasco. “Ele (Lula) traz luz a isso no discurso dele e nós, como setor produtivo, esperamos poder dar nossa contribuição”, completou.

Para o presidente da Unem, os próximos dias serão importantes para o setor avaliar a formatação dos ministérios e as propostas de governo. “Esperamos construir um canal de diálogo em curto espaço de tempo e estaremos prontos para apoiar o governo”, destacou.

Na avaliação de Nolasco, Lula poderá posicionar o país como potência global na produção de alimentos e biocombustíveis. “Lula tem a oportunidade de reescrever uma história e o Brasil pode ser protagonista nos dois maiores desafios globais: transição energética e produção de alimentos”, observou.

Segundo Nolasco, entre as pautas prioritárias para o setor estão a garantia da competitividade do etanol ante os combustíveis fósseis, a ampliação dos mandatos de mistura de biocombustíveis no país e o incentivo aos motores flex. Ele ainda indicou que o programa nacional de estímulo aos biocombustíveis, RenovaBio, como a principal política de descarbonização do setor: “Estará no centro da discussão até que se torne maduro”.

“Temos pautas importantíssimas que deverão ser trazidas à mesa, mas vamos dar tempo ao tempo e esperar essa construção dos ministérios”, afirmou Nolasco.

Gabriela Brumatti

FONTE: NOVACANA