Notícias

OCDE/AIE: apoio aos combustíveis fósseis quase dobrou em 2021

As principais economias do mundo aumentaram acentuadamente o apoio à produção e consumo de carvão, petróleo e gás natural, de acordo com análise divulgada nesta segunda-feira, 29, pela Organização para Cooperação e Desenvolvimento Econômico (OCDE) e pela Agência Internacional de Energia (AIE, na sigla em inglês).

Isto ocorre em um momento em que muitos países lutam para honrar seus compromissos assumidos no passado, para eliminar subsídios aos combustíveis fósseis e proteger os cidadãos do aumento de preços de energia.

Novos dados da OCDE e da AIE mostram que o apoio geral do governo aos combustíveis fósseis em 51 países em todo o mundo quase dobrou para US$ 697,2 bilhões em 2021, de US$ 362,4 bilhões em 2020, à medida que os preços da energia aumentaram com a recuperação da economia global. Além disso, prevê-se que os subsídios ao consumo aumentem ainda mais em 2022 devido ao aumento dos preços dos combustíveis e do uso de energia.

“A guerra da Rússia contra a Ucrânia causou aumentos acentuados nos preços da energia e minou a segurança energética. Aumentos significativos nos subsídios aos combustíveis fósseis incentivam o consumo exagerado, embora não necessariamente atinjam as famílias de baixa renda”, disse o secretário-geral da OCDE, Mathias Cormann.

“Precisamos adotar medidas que protejam os consumidores dos impactos extremos das mudanças de mercado e forças geopolíticas de uma maneira que nos ajude a manter no caminho da neutralidade de carbono, bem como da segurança energética e acessibilidade”, conclui o secretário.

FONTE: INFOMONEY