Notícias

Redução do preço combustível aumenta o fluxo de carros nos postos do Rio

Rio – A queda do preço da gasolina e do etanol no Rio de Janeiro, reflexo da redução da alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) de 32% para 18%, tem feito a diferença no bolso do consumidor. Com o preço menor nas bombas dos postos de combustíveis, os motoristas estão tirando o carro da garagem com mais frequência.

É o caso do comerciante Hebert Ramos, de 33 anos. Acostumado percorrer diferentes municípios do estado no dia a dia, ele conta que a diferença no preço é sentida. Nesta semana, ao abastecer no Centro do Rio, ele pagou R$ 5,85 pela gasolina. 

“Deu para aliviar o bolso. Já melhorou bastante, espero que continue assim daqui para frente”, disse Ramos.

Se comparado ao valor praticado no período anterior ao decreto, quando a gasolina custava em média R$7,80, o impacto da redução do ICMS foi de R$2,09 no estado. O valor é bem acima do esperado pelo governo, que era uma redução de R$ 1,19. Já a queda do preço do etanol foi de R$ 1,10. A estimativa era de R$ 0,70. Antes da fiscalização, o preço médio cobrado pelo etanol era R$ 5,98.

Desde o dia 4 de julho, o Procon-RJ tem feito fiscalizações nos postos de combustíveis. Até o início deste mês, 723 postos já foram vistoriados, 314 orientados quanto ao Decreto Federal 11.121 – que determina a exposição dos preços praticados no dia 22 de junho deste ano e do valor atual -, e 122 autuados.

Durante ação de fiscalização, no último dia 3, o preço médio constatado em 23 postos da Zona Norte e Oeste da região metropolitana, Itaguaí e no sul fluminense, foi de R$ 5,71 para a gasolina e R$ 4,88 para o etanol, demonstrando a constante redução de valor. 

Quem também sentiu reflexo positivo no bolso foi o instrutor de autoescola Valdinei Félix, de 34. Ao abastecer a moto na qual dá aulas em um posto de combustível no Caju, na Zona Norte do Rio, ele comemorava o preço de R$ 5,59 da gasolina e R$ 4,69 do etanol. 

“Com a baixa do preço do combustível, temos mais rendimento das aulas. Hoje, estamos dando a mesma quantidade de aulas e gastando menos combustível”, disse Félix. 

Já o motorista Alex Cardoso, de 48, lembrou que chegou a ver o preço da gasolina por R$ 8,20 na cidade do Rio. Ainda de acordo com Cardoso, a alta do combustível foi um dos fatores para deixar de ser taxista e atuar como motorista particular. Na última terça-feira, porém, ele conseguiu encontrar gasolina por R$ 5,59 em um posto de combustível em Olaria, Zona Norte do Rio. 

“Eu tenho um táxi e fui muito prejudicado. O preço da gasolina estava impraticável. Agora, está bem melhor, com certeza”, relatou Cardoso. 

De acordo com o presidente do Procon-RJ e secretário de Desenvolvimento Econômico, Cássio Coelho, as fiscalizações serão mantidas.

“As operações serão contínuas, buscando avaliar e garantir que a redução do tributo seja de fato repassada ao consumidor final”, afirmou o presidente do Procon-RJ e secretário de Desenvolvimento Econômico, Cássio Coelho.FONTE: O DIA