Notícias

Petróleo fecha em alta, mas termina semana com perda de mais de 8%

Os preços do petróleo fecharam a sessão desta sexta-feira (5) em leve alta, alterando a rota de queda percorrida durante boa parte da semana. O temor por uma recessão global que afete a demanda pela commodity pesou sobre as negociações nos últimos dias, levando o petróleo a acumular perdas semanais de mais de 8,5% tanto em seus contratos mais líquidos do WTI quanto do Brent.
Os preços dos contratos do Brent, a referência global, para outubro terminaram o dia em alta de 0,85%, a US$ 94,92 o barril, na ICE, em Londres, enquanto os preços dos contratos do WTI, a referência americana, para setembro subiram 0,53%, a US$ 89,01 o barril, na Bolsa de Mercadorias de Nova York (Nymex).No acumulado semanal, no entanto, o Brent recuou 8,70%, enquanto o WTI caiu 9,74%, ficando este último abaixo da barreira psicológica de US$ 90 o barril, algo que não ocorria desde fevereiro, antes da guerra na Ucrânia.
A preocupação com uma recessão global continua no radar, ainda que nos Estados Unidos, por ora, os dados do mercado de trabalho divulgados hoje tenham afastado a percepção de que a economia já estaria neste cenário. De todo modo, a preocupação com a energia na Europa já deixava o investidor ansioso e, nesta semana, o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) afirmou que a economia do Reino Unido deve entrar na mais longa recessão desde a crise financeira. Segundo o BC, a economia britânica deve enfrentar cinco trimestres de contração na atividade econômica, já a partir do último trimestre deste ano.
Para Craig Erlam, analista sênior da Oanda, há um movimento um pouco precipitado. “Claramente, todos estão levando a ameaça de recessão muito mais a sério, pois ainda estamos vendo um mercado [de oferta de produto] muito apertado e produtores sem capacidade de mudar isso”, disse. Para ler esta notícia, clique aqui.

Autor/Veículo: Valor Econômico