Notícias

jan 04

ANP publica análise das atividades econômicas de distribuição e revenda no Brasil

A ANP publicou recentemente a segunda edição do Diagnóstico da Concorrência na Distribuição e Revenda de Combustíveis Automotivos, estudo que descreve e analisa as atividades econômicas de distribuição e revenda de combustíveis líquidos automotivos no Brasil. Enquanto a versão original, publicada em 2016, teve como base dados apurados entre 2009 e 2013, a nova edição se baseia emdados obtidos entre 2014 e 2019 sobre as estruturas dos mercados de distribuição e de revenda de combustíveis automotivos. A publicação aponta também elementos da dinâmica concorrencial setorial por tipo de combustível automotivo.

No capítulo sobre o segmento de distribuição há um diagnóstico da estrutura e da situação concorrencial deste mercado entre os anos de 2014 e 2019, bem como um panorama sobre alguns aspectos regulatórios, concorrenciais e comerciais do setor. Além disso, avalia-se a evolução de variáveis comerciais e estruturais do mercado de distribuição de combustíveis líquidos automotivos durante este período.

Já no que trata da revenda de combustíveis líquidos, há um mapeamento do desenvolvimento deste segmento no mesmo período, buscando-se destacar o perfil dos postos revendedores a partir da diferenciação entre os postos bandeirados (que exibem marca comercial das distribuidoras) e os bandeira branca, (que não possuem contratos de exclusividade com uma empresa de distribuição). Destaca também as características socioeconômicas da atividade e apresenta a distribuição do número de postos revendedores por faixa de população nos municípios do Brasil.

O estudo está alinhado com o Planejamento Estratégico da ANP, especialmente com o ciclo que se encerra em 2020,que tem como um dos objetivos a serem alcançados por meio da atuação regulatória “fomentar investimentos na produção, distribuição e revenda de derivados de petróleo e de biocombustíveis” e apresenta como um de seus indicadores o Índice de Concentração de Mercado de Combustíveis Líquidos.

Acesse a publicação aqui

Fonte: ANP